Perfil

Muitas vezes a vida demora pra mostrar
o que realmente gostamos de fazer.
No meu caso foi rapidinho!

Desde criança, em Três Lagoas MS, eu não podia ver um palco que lá estava o Caquinho cantando e trocando ideia com o povo.

De lá pra cá só piorou (ou seria melhorou? kkkk) Estudei, fiz faculdade de direito em Bauru-SP, mas só comecei a colocar os “pingos nos is” quando me mudei para Barra Bonita-SP e formei minha primeira banda. Foi realmente um grande divisor de águas na minha vida. Lá vi que gostava de cantar, mas foi a melhor escola de comunicação que eu poderia ter feito.

Foram 6 maravilhosos anos me apresentando para todo tipo de platéia: formaturas, convenções, festas de 15 anos, shows em feiras agropecuárias, para mais de 30 mil pessoas, e bailes. Sim, bailes de todos os tipos! Até aqueles do Havaí, à fantasia, anos 60… e isso me ajudou a desenvolver o meu estilo de comunicador, porque aprendi a falar com todo tipo de público. Foi bem divertido!

Em 2004, nessa correria danada, me mudei novamente, desta vez pra gigante São Paulo… Nossa, pensa em um caipira morando na cidade grande. Pensou? Esse cara sou eu. Estudei teatro no estúdio Beto Silveira, me agenciei e comecei a fazer testes para comerciais. O primeiro foi punk! Estudei o texto, falei bonitinho, a diretora olhou pra mim e falou que estava ótimo, mas era pra eu tirar o “caipires”. Ri muito na hora, achei engraçado e claro, caprichei no sotaque paulistano. Fiz muitos outros testes, continuei ralando e Isso me levou a fazer muitos comerciais das maiores empresas do Brasil, como Bradesco, OI, Chevrolet, Bavaria, Skol, Rainha System, Bit Chipts, Wolksvagen, Microsoft, Cup Noodles, Coca Cola, etc.

C ontinuei na correria diária de buscar o meu lugar ao sol e em 2005 fui chamado para um teste na MTV. Uau, imagina o Caco de Castro apresentando um programa na famosa MTV! Sonhei, fiz o teste, rezei e fui chamado. Cheguei lá meio sem saber o que um apresentador de TV fazia, mas fui. Com a cara e com a coragem, mas fui. Foi ótimo! Me lembro até hoje da moça do teste me perguntando qual era o último disco que eu havia comprado e eu, sem titubear, falei: Roupa Nova acústico. Rolou um minuto de silencio seguido de um riso muito simpático. Acho que eu era única pessoa que ouvia Roupa Nova no teste e que tinha a coragem, ou a inocência de assumir isso no meio de uma TV rock n` roll. Na MTV apresentei o Disk MTV VJ em teste e descobri que era isso que eu gostaria de fazer pro resto de minha vida, mas precisava aprender muito.

Logo depois, em outubro de 2006, fui contratado pela MIX TV. Entrei na MIX muito jovem, sem ter feito faculdade de Rádio e TV, Jornalismo, então eles realmente acabaram de me criar.

Tenho carinho tão especial pela MIX, pois se hoje eu faço TV, foi lá que aprendi. Isso sem contar o fato que a rapaziada de lá acabou de me criar, não é?

Fiz de tudo na MIX, já apresentei um jornal musical, o Rota Mix, programa de viagens e depois ganhei o No Break, um programa de vídeo clipe, apresentei vários festivais ao vivo, como o São Paulo Mix Festival, o Sertanejo Pop Festival, o Rock in Rio e entrevistei todos os grandes nomes da música no Brasil, como Paralamas, Jota Quest, NX Zero, Emicida, Sandy, Jorge e Matheus, Thiaguinho, Titãs, Michel Teló e mais uma galera bem bacana. Alguns nomes internacionais como 30 Seconds to Mars e 3OH!3 eu também troquei uma idéia.

E finalmente, em 2013, realizei um sonho: Um programa ao vivo, com muita interação dos fãs, bandas tocando ao vivo, entrevistas, tecnologia, variedades, cinema e claro, “futricando” um pouquinho a vida das grandes estrelas, porque temos que deixar todo mundo bem informado sobre o seu ídolo. Estou no ar no com o Mix Diário desde então e fico muito feliz com o sucesso do programa e o carinho do público. Começamos despretensiosos e hoje somos uma opção nas tardes de muita gente com uma audiência super expressiva. O Mix Diário é líder de audiência em relação as outras TVs musicais e chega ao Brasil inteiro.

É isso, tem mais muitas histórias e coisas legais que eu gostaria de contar pra vocês, mas vou deixar pro #blogdoCaco, porque se eu parar pra escrever aqui… vai demorar um “cadinho”.

@cacodecastro

Copyright © 2014. Design by Blank