#EscutaAí + PROMOÇÃO| Banda Young Empire

Fala, minha gente!
Tudo certo por aí?

Cada vez mais me surpreendo com as bandas e artistas que passam por aqui. Em Dezembro fiz uma promessa com vocês de postar matérias toda semana e eu tenho uma péssima notícia para as inimigas: eu estou levando isso a sério e até agora não furei uma semana se quer! (se reclamar eu posto duas vezes por semana, hunf). Em Janeiro passaram por aqui: Banda MahaloBackfield RockMakai e Baron e em Fevereiro o Theodore Burkhardt, participante do The Voice Kids da Alemanha, também deu o ar de sua graça, assim como os meninos da Banda Cabana Jack. Para começar o mes de Março com chave de ouro, nada mais justo do que trazer para vocês uma das melhores bandas de Pop/Rock  Alternativo que eu conheço (e não, eu não estou sendo paga pra dizer isso… mas fica a dica aí pra produção da banda haha).

A banda Young Empire (YEP) foi formada em 2013 por Marvin, Peroba, Yuri e Matheus – quatro jovens  apaixonados por música e com um sonho em comum: compartilhar suas canções e ideias, com a intenção de trazer novas experiências para todos os amantes do Rock e do Pop. Eu sou mega fã desses rapazes então sou meia suspeita para falar. Sendo assim, resolvi trocar uma ideia com eles para vocês mesmos tirarem as próprias conclusões! Agora a melhor parte não é nem a entrevista: os meninos  e a produção são tão simpáticos e adoráveis que fizeram questão de realizar uma promoção conosco, valendo um CD e um par de ingressos para o próximo show!

Confira a entrevista e as informações sobre a promoção logo abaixo! Ah! E não esqueçam de deixar seus comentários e divulgar a entrevista e a banda para aquele seu amigo que precisa dar uma renovada na playlist urgentemente 😉

ENTREVISTA COM A BANDA YOUNG EMPIRE

 

1) Meus queridos, é um prazer imenso poder conversar com vocês e apresentá-los para este mundão de gente. É uma das primeiras entrevistas oficiais que vocês concedem, não é? Bom, pra começar, vamos explicar pra galera: como vocês se conheceram? Quando foi que vocês perceberam que poderiam dar um próximo passo rumo à carreira musical?  

 

Peroba:  Posso? Então, é sim nossa primeira entrevista. Obrigado por dar essa oportunidade pra gente! Foi assim: eu tinha uma banda com o Yuri e com outros 3 integrantes: o Mourão, o Allan… Quem que era o vocalista? Sempre mudava o vocalista.

Marvin: Era eu! Mentira.

Yuri: Tinha um vocalista…

Peroba: É, tinha um vocalista que mudava sempre. E aí o Allan, que era o baterista, conhecia o Marvin. E nisso ele falou “ah, a gente pode tocar num barzinho e tal, vai ser legal”, e a gente marcou um show. A gente nem conhecia o Marvin ainda. Nós marcamos o show, fizemos uns 3 ensaios só…

Marvin: A gente se conheceu no ensaio.

Peroba: É, lá no Produssom.

Yuri: Eu cheguei atrasado.

Peroba: E tava uma merda. Tava uma bosta o som, a gente tava muito ruim, porque só tinha 3 ensaios e tinha muita música que a gente ia tocar. E no final, ao invés de tocar umas 10 músicas, a gente tocou 5. Mas foi bom o show, foi lá no Piove. E foi assim que a gente conheceu o Marvin. E aí, depois disso, a gente tava até empolgado mas… a gente fez só esse show, depois parou tudo.

Marvin: Depois a gente ficou um ano sem nada acontecer.

Peroba: Eu tava sem banda e eu estava bodeado já, aí eu resolvi falar com o Yuri, ele tava meio estranho com a outra banda e eu falei “vamos fazer uma banda”.

Marvin: Essa resposta vai ficar enorme, tem que enxugar ela…

Peroba: Vai mesmo. Mas foi assim que aconteceu. E aí depois de um tempo a Malu veio e falou “ah meu irmão toca bateria e ele queria entrar na banda” e aí veio o Matheus. Nosso primeiro ensaio foi… Eu e o Matheus… porque o Yuri faltou.

Matheus: Aí o segundo ensaio foi: eu e o Peroba.

Peroba: Hahaha exato.

Matheus: E o terceiro foi: eu e o Peroba.

Yuri: Não, o terceiro não! Hahaha o terceiro não.

Marvin: Em qual ensaio que eu fui? Que engraçado, todos vocês eu conheci dentro do estúdio, né? Engraçado isso. Tava pensando nisso…

Peroba: Nossa, você foi lá pro… Sei lá, demorou muito. A gente ainda tocou no Viva Fest antes (eu cantando, tava uma merda), eu, o Matheus e o Yuri, mas até que gostaram, estava engraçado. Depois disso eu falei “putz, não dá pra eu cantar, vamos ver se tem algum vocalista”. Aí eu lembrei do Marvin. A gente tinha tocado juntos há mais de um ano.

Marvin: Aí você foi falar comigo pelo Facebook.

Yuri: A gente pensava que ele tinha banda já.

Peroba: Eu não falava com ele fazia muuuito tempo, tipo, desde quando a gente tocava. Aí eu falei “ow, e aí?”

Marvin: “vamos fazer um ensaio? Tô com uma banda nova”. Eu ainda tenho aquela conversa no facebook!

Yuri: Tem??

Peroba: Tem? Também, a gente não se falou depois né hahaha.

Marvin: Tá, e aí a gente começou, fez a banda e pronto, tamo aqui hoje.

Peroba: E… a gente percebeu que ia dar um passo grande com a banda depois de…

Matheus: Do show do Inferno.

Peroba: Não, antes até. Esse já foi um passo grande. Foi quando a gente começou a tocar música própria.

Marvin: É, foi. Quando eu mandei I Found You On a Dancefloor pra vocês, lembra? A gente tava meio assim, sem saber o que fazer. Aí o pessoal gostou e a gente gravou o acústico.

Peroba: E a gente percebeu que o pessoal tava curtindo bastante.

Marvin: Aí a gente falou “não, todo mundo gostou dessa música, vamos continuar nisso”. E foi assim.

 

 

2) E de onde veio a ideia para o nome da banda?

 

Marvin: Então,  a gente tava procurando muito esse nome. Só saía bosta.

Peroba: Nossa, tava engraçado.

Yuri: Que que saía antes?

Marvin: Só saía coisa ruim. Como é que era?.. Pangea!

Todos: hahahahaha.

Marvin: Gente, que nome horrível. Pangea. Imagina o nome da banda: Banda Pangea! Aí depois ficou como? MaMaCeLe! Depois ficou MaMaCeLe porque a gente queria juntar as iniciais de todo mundo. Matheus, Marcus, Cesar e Leonardo.

Peroba: E era uma ideia que a gente quase aprovou! Tipo, tava todo mundo gostando…

Marvin: Não, mas tipo: “Ah, MaMaCeLe, vamos lá, vai ser o nome da banda”.

Matheus: Como que é aquele FIT…? Full Into! Que aí ia virar FIT.

Peroba: Nossa senhora… Não, e aí sei lá, eu pensei em um bagulho que tinha que chamar “YEP”, só que não encaixava nada.

Marvin: Aí eu vi uma foto… Eu tava no computador e conversando com vocês pelo grupo, e eu pensava “meu, tenho que achar alguma coisa”. Eu tava em um blog de fotos, alguma coisa assim, e eu vi a foto de uma tatuagem escrito “Empire”. Aí me veio na hora “Young Empire”. Tem que ser esse nome. Aí mandei, todo mundo gostou, encaixava com YEP. Aí foi. Foi assim que o nome surgiu.

  

 

3) Os leitores do Blog do Caco sempre se surpreendem com as profissões dos membros da banda que passam por aqui. Tem sempre um engenheiro… a regra se aplica por aí também? Todos vocês estudam e/ou trabalham?

 

Marvin: O Matheus ta engenhando né?

Matheus: Engenheirando?

Marvin: Engenhando.

Matheus:  Eu faço engenharia na FEI, o Yuri está buscando seu talento ainda.

Yuri:  hahahaha.

Marvin: eu ainda to meio perdido. Tô nadando por aí. Eu trabalho com saúde. Não sou muito saudável, mas… Tô lá.

Peroba: Eu estudo.

Yuri: Aham…

Peroba: Eu tento estudar Publicidade. Vou virar um publicitário famoso.

Yuri: Marqueteiro.

Peroba: Marqueteiro. Um Publeteiro. No Mackenzie. Só.

Marvin: Mas na verdade tudo o que a gente quer é uma banda de sucesso.

Peroba: Exato.

Matheus: O que eu ia falar é que agora o Yuri não sabe mais se quer medicina, direito ou filosofia.

Marvin: Ou música. Ele quer mais música, né Yuri?

Yuri: To pensando em um plano B.

Marvin: É, porque na verdade esse é o plano B. O plano A é a música. Meu plano B é… Vou ser escritor.

  

 

 4) Para vocês, qual a melhor parte e a maior dificuldade de estar em uma banda? 

 

Matheus: A melhor parte com certeza é tocar nos ensaios.

Marvin: A pior parte… São as ideias divergentes. Tem dias que ninguém está concordando com nada, cada um está com uma ideia diferente. Eu acho que isso me dá muita raiva, é a pior parte pra mim porque eu queria que todo mundo concordasse sempre. Em tudo. Mas a gente sempre tá com as ideias diferentes.

Matheus: Mas no final, as ideias diferentes são as que trazem mais ideias boas.

Marvin: É, verdade. Mas olha… A melhor parte é quando a gente realmente vai lá e executa.

Peroba:  É, então, pra mim a melhor parte… Não é nem só executar, é ouvir as pessoas cantando a música. É sensacional.

Marvin: Sim!!! As pessoas cantando! Eu gosto também do reconhecimento. Quando as pessoas elogiam. Adoro hahahaha.

Matheus: Eu gostei muito da experiência de gravar em um estúdio também.

Peroba: O Yuri não gosta nem desgosta de nada.

Yuri: Então, eu acho que um ponto negativo é que tem dias que nem todos estão inspirados pra tocar. E aí fica ruim, porque alguém puxa pra baixo. O ensaio principalmente, em show não.

Peroba: Ou porque a corda da guitarra estoura.

Matheus: Em show é impossível ficar pra baixo, com todo mundo gritando.

Yuri: E a melhor parte é… Não sei. Acho que a evolução na questão de desenvolvimento das aptidões musicais de cada um.

Peroba: Não dá pra ser mais simples?

Marvin: Ela não vai consegui transcrever isso!

Todos: hahaha.

Yuri: Mas é porque… A partir do momento que eu entrei em uma banda, acho que todos vocês, começaram a gravar em estúdio, vocês aprenderam muito em relação à música.

Marvin: Eu aprendi bastante.

  

 

5)   Para alguém que não conhece vocês, como descreveriam a Young Empire?  

 

Marvin: A gente é muito legal. Eu acho.

Peroba: Hahahaha, pra mim… Putz.

Marvin: Acho que é uma banda que está começando, tá tentando tudo agora, que merece ser ouvida!

Peroba: Não tem como descrever assim pra uma pessoa que não ouve… Você tem que escutar nossa música.

Marvin: É, a gente pode falar tudo. Ah, a música é legal, a música é tal estilo, rock e tal. Só que, se a pessoa não escutar a música, não se identificar com a letra, harmonia, melodia, não vai rolar.

Peroba: É, exato, porque se for pra gostar da gente e não das nossas músicas, não goste de nada, por favor hahaha.

Matheus: Eu diria que antes de tudo a gente é criativo. Antes de experiente.

Yuri: É, sim.

Peroba: A gente se esforça o máximo. A gente tenta sempre buscar nosso melhor, então…

Yuri: Eu acho realmente que a nossa criatividade supera a nossa técnica.

Marvin: A gente tem que evoluir bastante. Nós somos muito novos, se a gente parar pra pensar.

Yuri: Mas eu acho realmente que é uma banda que tem muito potencial, que é muito criativa, tem letras ótimas, melodias ótimas que merecem ser escutadas.

 

 

6)   Pra vocês, qual é a parte mais gratificante em trabalhar no ramo da música?

 

Peroba: Ah, acho que já falei.

Marvin: É poder cantar e as pessoas reconhecerem e gostarem.

Yuri: É, o reconhecimento da banda.

Peroba: Pra mim é ouvir as pessoas cantando e elogiando sempre.

Matheus: Pra mim o melhor vai ser sempre tocar.

Peroba: É, estar em cima de um palco e tocar nossa música.

Yuri: E depois ser reconhecido pela música que foi tocada.

Peroba: É, e ver todo mundo pulando, pra mim é a melhor coisa.

Marvin: É, então! Você estar interferindo na vida da pessoa só com a música.

Yuri: E interferindo positivamente, né?

 

 

 7) Tem algum artista ou banda que vocês gostariam muito de poder fazer uma parceria?

 

Marvin: Tem uma pessoa que eu queria muito poder cantar junto um dia e subir num palco… mas ela não ta mais aqui hahaha. Meu maior ídolo musical, seria a Amy Winehouse. Subir em um palco com ela seria sensacional. Só que, hoje em dia, quem eu gostaria de fazer, tipo, agora, se me perguntassem alguém que eu poderia mesmo fazer um duo, Selah Sue.

Matheus: Bom, pra mim, com certeza, não sei se pra subir em um palco junto, mas ter ele como apoio, musical, alguém pra dar ideias, seria o Dave Grohl.

Yuri: Eu, assim: Se fosse pra considerar os vivos e os mortos seria muito difícil escolher, principalmente entre os mortos. Então… Eu acho que… Dentro de uma realidade improvável, mas possível, acho que Paul McCartney. Meu maior ídolo em relação ao baixo. A simplicidade que ele cria as linhas dele, a música dele. É simples e complexo ao mesmo tempo, é meio difícil de descrever.

Peroba: Eu gostaria muito de tocar com o Aerosmith. Eu acho eles fodidos.

Marvin: Aerosmith é muito chato!

Peroba: Cala a boca! Eu acho eles MUITO bons. Mas, pra ter do lado, como um apoio, seria o Paul McCartney também. Ele é um amor de pessoa.

Yuri: É, não só como um músico, instrumentista, mas como produtor também.

 

*Adendo da produtora: todos os dias o Yuri fala que o próximo álbum da YEP vai ser produzido pelo Paul*.

 

Yuri: E, assim, se eu pudesse citar mais um, eu citaria o Chico Buarque. Em relação à letra e tal.

Peroba: Sim! Eu pensei nisso também. Caetano… Esses caras fodas da música brasileira.

Matheus: Eu acho que, pra banda, seria muito interessante ensaiar junto ou fazer show junto com o Arctic  Monkeys.

Yuri: É, é o estilo musical que mais se aproxima.

 

 

8) Se vocês pudessem escolher qualquer canção já escrita para representar a vida de vocês, qual seria?

 

Marvin: Ai, pra representar minha vida? É difícil essa pergunta.

Peroba: Eu acho que… Planto, do Rancore. Talvez.

Yuri: Nossa, que difícil.

Marvin: Uma música que eu acho que eu sempre vou escutar, não pela letra, mas por toda a produção mesmo, é a música do Bombay Bicicle Club, How Can You Swallow So Much Asleep. A letra é meio nada a ver, mas essa música… Meu, eu fico muito feliz quando eu escuto.

Matheus: Ai, não sei. Acho que nenhuma música representa minha vida, quem representa minha vida sou eu.

Yuri: Eu não sei. Acho que assim… É que tem tantas músicas. Eu colocaria O Vencedor, do Los Hermanos. Não pelo fato de eu ser um vencedor, mas por eu negar essa ideia de vida de que você tem que ser vitorioso, tem que vencer, ser melhor que os outros.

Peroba: É muito boa essa música.

Yuri: A música é o contrário do que o título propõe.

Matheus: Pra mim, sem via de dúvida, seria Fool In The Rain, do Led Zeppelin. Eu não digo pensando na letra, mas pensando no ritmo e harmonia.

Marvin: Mas a minha também não é pela letra. É uma música que me deixa muito feliz, sabe?

 

9) Se vocês pudessem escolher qualquer música que já existe pra ter sido escrita por vocês, qual seria? Qual música vocês gostariam de dizer que foram vocês que escreveram?

 

Matheus: Fool In The Rain.

Peroba: Eu vou responder antes do Yuri: Let It Be. Você tá gravando? Oi mãe!

Marvin: Nossa, é muito difícil essa pergunta, gente.

Yuri: Essa pergunta é difícil. Mas, tem que ser música contemporânea? Não? Ah mano, então vou apelar pros clássicos, que são os gênios da harmonia. Ou a Sinfonia nº1, do Mahler ou a Nona Sinfonia do Beethoven.

Matheus: Produção, tira o microfone do Yuri.

Marvin: Eu to pensando ainda.

Yuri: Posso falar mais uma? Acho que Sagração da Primavera, do Stravinsky.

Marvin: Eu gostaria de ter escrito Geni e o Zepelim, do Chico Buarque. Sem dúvida.

Peroba: “Joga pedra na Maluuuu” (na música original, o refrão é “joga pedra na Geni”. O nome da produtora da YEP é Malu). Todas do Chico Buarque eu queria ter escrito hahaha.

Marvin: É. Só que uma mais atual que eu gostaria de ter escrito é Homewrecker, da Marina And The Diamonds, porque eu acho aquela letra sensacional.

 

 

10) Vocês acabaram de lançar o primeiro álbum da banda – que é sensacional diga-se de passagem – e as canções são bastante variadas. Como foi o processo de gravação?

 

Yuri: Obrigado, Marcella.

Matheus: Bom, primeiro a gente fez umas músicas guias, aqui em casa mesmo, com violão e voz, pra eu poder gravar a bateria lá no estúdio ouvindo essas músicas. E aí depois com a bateria pronta já foi mais fácil. O Yuri fez o baixo e o Peroba fez as guitarras.

Peroba: Éeee, faz sentido essa parte aí.

Yuri: E o Marvin cantou por cima.

Marvin: Eu fiz a voz.

Matheus: Isso, por incrível que pareça, o Marvin fez as vozes.

Peroba: É, surpreendeu agora.

Matheus: E aí depois, com as quatro etapas prontas, a gente fez os detalhes, como backing vocal, outras guitarras, solos…

Marvin: É, e também teve masterização, mixagem. Aí a mixagem deu errado, a gente voltou atrás…

Peroba: Não é que deu errado, é que a gente não gostou das primeiras mixagens, não fez nosso estilo. E a gente foi, voltou umas 4 vezes até achar perfeito. Nisso, faltava uma semana pro lançamento do CD.

Marvin: Verdade. O CD ficou pronto de verdade 6 dias antes do lançamento. Foi em uma segunda, né? O lançamento era no domingo. Foi na segunda que a gente falou “o CD vai ser assim, pronto, acabou”.

Yuri: É, e como foi uma primeira experiência de gravação, agora a gente faria muitas coisas diferentes. Agora, com mais experiência.

Marvin: Ah, eu também, com certeza.

Matheus: É, eu aprendi muito durante a gravação.

Peroba: Não sei se eu faria tanta coisa diferente.

Matheus: Eu aprendi muito durante a gravação e eu mudei muita coisa.

Marvin: Eu incrementaria, acho, na verdade. O meu trabalho, na gravação. Gostaria de um acompanhamento.

Matheus: Eu mudei muita coisa que ao vivo seria de um jeito, mas em estúdio ficou assim.

Yuri: Acho que quem mudaria mais coisa seria eu e o Matheus, provavelmente.

 

 

 11) Bom, a última canção do CD chama-se “End Of The World” (fim do mundo). Se coloquem nesta situação: se vocês soubessem que hoje o mundo acabaria, o que vocês gostariam de fazer e com quem?

 

Matheus: Eu gostaria de tocar bateria com a minha banda.

Yuri: Aaawn.

Marvin:  Olha…

*Silêncio, ninguém sabe o responder*

Yuri: Marcella, você me ferrou. Brincadeira. Eu acho que eu ia ficar em casa escutando música. E vendo o pôr do sol, o último pôr do sol da minha vida.

Marvin: Eu acho que o que eu gostaria mesmo, de verdade, sinceramente, é o que a gente tava conversando aqui: de me apresentar em algum lugar. Me apresentar, fazer um show em algum lugar.

Peroba: Em um lugar grande, com muita gente.

Marvin: Muito grande, tipo, na minha última nota maaais alta eu morrer.

Felipe (amigo da banda): O sol brilhando na cara.

Marvin: É. O sol ia queimar o mundo inteiro, assim, pronto. Morri no palco.

Peroba: Eu gostaria de passar pelos lugares mais marcantes que eu passei na vida e tipo, com as pessoas que eu curti muito nesses lugares aí. Sei lá, descer pra praia e depois voltar vendo o pôr do sol com uma galera que eu vi um dia e tava sensacional. E… Fazer tudo o que eu já fiz na minha vida, de novo. Assim, as coisas que eu mais gostei. Mas, também, no final do dia fazer esse showzinho. Com MUITA gente. Tinha que ter muita gente.

Marvin: Muita. Todos os meus amigos iam ter que estar lá.

Peroba: Nossa, é. Ia morrer todo mundo feliz. Ia ser bom.

Marvin: Ia. E a última música podia ser Let’s Live Love (YEP).

Peroba: Pode ser, porque aí a próxima geração de pessoas ia viver com amor.

Marvin: Que próxima geração? É o fim do mundo!

Peroba: Ah, tem os ETzinhos.

Felipe (amigo da banda): Tinha que passar pros ETs as músicas, né?

Matheus: A última música tinha que ser All My Life (Foo Fighters).

Marvin: “All my life I’ve been searching for something…”

Peroba: Não, tem que ser “there are places I remeeeember… All my liiife” (Beatles)

Felipe (amigo da banda): Aí é triste, aí vai chorar.

 

 

12)  Por último, mas não menos importante, vocês gostariam de deixar uma mensagem aos leitores do cacodecastro.com.br e também para seus fãs? Muito obrigada pela entrevista, meninos! Boa sorte!

 

Marvin: Muito obrigaaaado! Eu estou agradecido de estar aqui hoje, no estúdio da Mix… Hahahaha, brincadeira.

Peroba: Gente… Obrigado! Ó, eu achei as perguntas muito criativas.

Yuri: Eu gostei muito das perguntas também. Gostei muito da oportunidade também, Marcella.

Peroba: Nossa, eu achei muito criativo. Gostei bastante de responder, fiquei pensando muito pra conseguir responder.

Marvin: Eu achei muito criativo também, eu pensei muito nas perguntas antes de responder. E isso é uma coisa legal, não são aquelas perguntas normais.

Peroba: Que já tá pronto, assim.

Marvin: Só que na verdade a gente não está querendo agradecer a entrevista, né. É pra agradecer o pessoal… As pessoas que não conhecem a banda, é isso a pergunta? *relê a pergunta* Tá. Leitores, vocês que estão lendo hoje. Hahahaha

Peroba: Leitores que lêem hahahah.

Marvin: Escutem! Escutem a gente, vai. Vai lá no iTunes, baixa as músicas, vai no nosso canal do Youtube, curte a gente no nosso Facebook.

Peroba: Tem SoundCloud!

Marvin: Tem a versão acústica de 6 das 8 músicas do nosso CD.

Peroba: Vai em um show nosso!

Marvin: Vai no nosso show! Daqui umas semanas vai ter show. Aqui mesmo vai ter uma promoção valendo dois ingressos quando a entrevista for ao ar. É pro show de lançamento do nosso CD!

Yuri: Dia 21 de março.

Marvin: Vai lá conhecer a gente no dia 21 de março, na Clash Club em São Paulo. E vocês que ganharem vão ganhar Meet com a gente, também!

Peroba: E, se vocês forem, espero que vocês curtam muuuuito, porque cara, é… Vai ser muito, muito bom pra todo mundo que estiver lá. É, show é essas coisas né (:

Facebook  |  Instagram  |  Twitter  |  Youtube

 

E aí, curtiu a entrevista? Deixe seus comentários abaixo!

Faça a boa e confira o CD dos meninos no iTunes!  (clique aqui)

 

PROMOÇÃO

 

1) Curta a página do Caco de Castro no Facebook (clique aqui)

2) Curta a página da Banda Young Empire no Facebook (clique aqui)

3) Compartilhe a postagem do Facebook do Caco (clique aqui) de modo PÚBLICO

4) O post com mais curtidas será o vencedor!

5) O vencedor será divulgado dia 13 de Março, no período da noite, no Facebook do Caco!

 

Boa sorte!

 

ATENÇÃO: Entraremos em contato com o vencedor por inbox e, caso não haja resposta em 48h, o segundo post com mais curtidas será o novo vencedor. 

 

Clique aqui para saber todos os detalhes de como indicar os músicos

Marcella

Fale comigo no Twitter

Siga meu Instagram

sobre o autor

Marcella Monteiro
Marcella Monteiro

Apesar de estar cursando Engenharia, sempre foi fascinada por fotografia e todo gênero de música. Engajada em manter as pessoas bem informadas, já se envolveu em diversos sites de notícia e projetos sociais.

Copyright © 2014. Design by Blank