#EscutaAí – No Ducky

Fala, galera!

Semana retrasada vocês tiveram a honra de conhecer um pouco mais os meninos da Banda Maré (se você não conferiu a matéria completa, clique aqui porque vale muuito a pena!)Depois de inúmeros pedidos nós conseguimos marcar uma entrevista exclusiva com eles. Nessa semana não foi diferente: as fãs pediram enlouquecidas nas redes sociais e… é claro que eu estava lá de botuca só vigiando 😉

No começo do mes passado o  Blog do Caco de Castro foi finalmente lançado e estreou repleto de novidades e conteúdos exclusivos! Com a colaboração dos #cacunistas (sim, os escritores do blog são chamados de “cacunistas”, nos julguem) o site vem sido atualizado e já arrancou muitos elogios de uma pá de gente por aí :)

Eu, Marcella, (sim, ainda continuo sendo a única mulher so site… uhuuul!), estou me dedicando a bandas desconhecidas e/ou novas e até agora tem sido um sucesso. Então, caso você conheça algum músico e queira indicá-lo para aparecer aqui no blog, sinta-se a vontade e nos mande um email. Todas as informações completas estarão no final deste post 😉

Voltando ao que interessa, essa semana conversamos com uma banda brasileira sensacional e que você já deve ter escutado ou visto na TV (Globo, Band, MTV..). Com influências variadas, a banda de pop rock começou em 2005 tocando covers e desde então veio conquistando a galera. Após anos de dedicação, os meninos da No Ducky se tornaram a atração principal de vários festivais – inclusive festas universitárias – de todo o país! Os rapazes de Jundiaí estão produzindo seu próximo CD, mas arrumaram um tempo na agenda para conversar conosco (olha que honra!) sobre o começo da banda, planos futuros, loucuras de fãs e muito mais! Confiram abaixo e deixem seus comentários tanto aqui no Blog quanto nas redes sociais minha e do Caco! Espero que gostem!

ENTREVISTA COM NO DUCKY

 

 

1) Como a banda surgiu? E a idéia do nome, surgiu naturalmente ou alguém que veio com a idéia pronta?

No Ducky: O No Ducky surgiu no ano de 2005 na cidade de Jundiaí/SP. Eu (Rike) estudava com o Marcola no mesmo colégio aqui da cidade e resolvemos criar o grupo pra participar de um festival de talentos que rolava por aqui. Na verdade quando fizemos esse show, a banda ainda não tinha nome, e logo em seqüência pra 2° apresentação, veio naturalmente o nome No Ducky.

 

2) Quando resolveram montar uma banda, vocês sempre sonharam com isso, ou antes tinham outros planos/sonhos?

No Ducky: A idéia de ter uma banda sempre agrada qualquer garoto, mas seria muita pretensão dizer agora que eu pensava em tudo isso, em viver da música, na estrada. Sempre pensei em trabalhar próximo a outras pessoas, pois gosto muito desse contato interpessoal, mas a banda hoje em dia supera qualquer outra vontade.

 

3) Qual a melhor parte e a maior dificuldade de estar em uma banda?

No Ducky: Acho que a melhor parte é sempre conhecer novas pessoas, não ter uma rotina e viver desafiando e sendo desafiado pela vida. A maior dificuldade, no entanto, é conseguir se manter financeiramente. O mercado da música é complicado, mas estamos tentando entender tudo cada dia mais e logo essa dificuldade vai ficar pra trás.

 

4) Para alguém que não conhece vocês, como vocês descreveriam o No Ducky? 

No Ducky: Nosso maior lema é, com certeza, a união que temos. São 9 anos de banda e pra mim só estamos aqui até hoje porque somos além de músicos e profissionais, amigos. Descrevo a banda como um Rock pra frente, ou como ouvi nos bastidores do 2° disco, um rock “tuxado”.

 

5) Pra vocês, qual é a parte mais gratificante em ser músico?

No Ducky: Conseguir levar nossas idéias e pensamentos pra outras pessoas. Uni-lás, conhecê-las. Nada é tão gostoso quanto fazer um som ao lado de pessoas que você ama.

 

6) Todos vocês vivem da música ou possuem um outro trabalho em paralelo?

No Ducky: Há mais ou menos 2 anos, decidimos viver só da música. Temos um estúdio aqui em Jundiaí chamado Chapola Studio onde produzimos alguns outros artistas e viabilizamos projetos ligados a música em qualquer segmento. Além disso, sempre arriscamos produzir alguns eventos com bandas aqui de SP e de outros estados. Música por todos os lados. O No Ducky atualmente faz de 5 a 8 shows por mês e nossa idéia é conseguir levar o disco novo que sai nos próximos meses para todo o Brasil.

 

7) Qual foi o show que marcou por algum motivo: um momento muito especial que vocês abriram o show ou tocaram com alguém que admiram muito? Ou até mesmo um fato inesperado em relação a algum fã…

No Ducky: O lançamento do nosso primeiro disco em 2010 foi muito bom! Lembro até hoje o clima que estava rolando por ali, a casa lotada, pessoal cantando todas as nossas músicas. Além desse, tivemos a oportunidade de tocar com artistas que somos muito fã, como Forfun, Raimundos, Seu Cuca e outros.

 

 8)  Qual a música que marcou mais a trajetória da No Ducky?

No Ducky: No começo da banda, tivemos a música “Demorou” que rolou no quadro “Garagem do Faustão”. Isso foi bem legal e marcou nosso primeiro disco com essa canção. Depois disso, acredito que as músicas: “Bom” e “Superficial” tenham marcado mais, por terem lançamentos em grandes rádios e clipes com boa exibição.

 

9)  Já teve alguma loucura de fã pra contar? Ou talvez uma conversa que mexeu com vocês?

No Ducky: Poxa! Tratamos nossos fãs como verdadeiros amigos, isso tudo só acontece graças a eles todos. Já recebemos cartas de metro, presentes, beijos rsrs … Tudo muito normal. Recentemente, conheci uma fã chamada Maah Araujo. Ela chegou na porta de um show e falou com os 5 integrantes da banda juntos. Uma história emocionante que com certeza me marcou. Um super beijo pra Maah. Muita luz e muito No Ducky.

 

10) Sobre o processo de criação, como vocês se organizam? Quem compõe? Quem coloca melodia?

No Ducky: Dentro do No Ducky procuramos nos ajudar muito e deixar o ego de lado, assim o processo final é muito melhor e satisfatório. Nesse nosso novo disco que vem por ai a maioria das letras são de minha autoria, mas tem canções do Mizão, do Marcola do Caio e do Chapola. Cada canção nasce de um jeito, mas normalmente dou um início pra elas junto com o Mizão e após isso me junto com o Chapola pra criar toda estrutura e base do som. Nesse processo todo a melodia já aconteceu, ou no processo inicial da música ou nesse 2° momento de composição. Fazer música é ago mágico, não vejo a hora de compartilhar esse novo disco com todos vocês.

 

11)  Eu vi que em Maio deste ano vocês se envolveram na Campanha do Agasalho, assim como grandes amigos do No Ducky, a Banda Maré. Aos olhos da banda, qual a importância da classe artística nessas ajudas comunitárias? 

 

No Ducky: A maior possível!!! Somos artistas e tem pessoas que nos seguem e acompanham tudo que falamos. Na minha opinião nosso papel além de passar uma boa mensagem, é fazer essas mensagens se transformarem em boas ações. Fizemos a campanha na cidade de São Carlos/SP onde temos uma aceitação muito boa. Os amigos da banda Maré têm essa mesma filosofia e é por isso que estamos juntos. Um grande abraço pra esses feras!!!! Contem com a gente!!!

 

 12)  Eu vi que vocês realizaram um projeto com a Catarse para arrecadar fundos pra financiar a produção do novo disco. Como surgiu essa idéia? Vocês imaginavam arrecadar mais do que o esperado?

No Ducky: Quando conhecemos o Tomás Magno, que viria a ser o produtor do nosso novo disco, veio junto a possibilidade de fazer tudo isso na Toca do bandido, um dos maiores estúdios musicais do Brasil. Foi exatamente nesse momento que tivemos a idéia de criar o “No Ducky na Toca”. No início ficamos com medo de não atingir a meta e não concluir o projeto, mas chegamos em 106% alcançados. Viajamos pro RJ e já gravamos quase tudo pro novo disco. Um lugar fantástico, um vibe incrível. Vamos passar tudo isso nas novas músicas.

  

13) O que os fãs podem esperar do No Ducky daqui para frente?

No Ducky: Podem esperar uma banda madura e que trabalha muito! Nunca estivemos tão dispostos pra viver da música e fazer toda a correria que uma banda deve fazer. O disco novo via ser composto por 12 faixas inéditas e queremos levar essas músicas para o Brasil todo.

 

14)  Por ultimo, mas não menos importante, vocês gostariam de deixar uma mensagem aos leitores do cacodecastro.com.br e também para os fãs da banda? Muito obrigada pela entrevista, meninos!

 

 No Ducky: Gostaria de agradecer e deixar um super beijo pra todos vocês do Blog e um grande abraço pro nosso parceiro Caco de Castro. Toda galera que está lendo e conhecendo a banda por aqui, não se sinta envergonhada, vá até nossa Fan Page, até nosso twitter e vamos bater um papo. Prazer total pra nós. Super beijo a todos os nossos fãs e amigos, principalmente aos fã clubes “NDK By Fãs” e “Team No Ducky”.

Vem muitas novidades pela frente e queremos dividir com vocês.

Valeu!

 

Rike
No Ducky

 

Twitter   |   Facebook   |  Youtube   |  Instagram

 

E aí, curtiu a entrevista? Deixe seus comentários abaixo!

Clique aqui para saber todos os detalhes de como indicar os músicos

Marcella

Fale comigo no Twitter

Siga meu Instagram

sobre o autor

Marcella Monteiro
Marcella Monteiro

Apesar de estar cursando Engenharia, sempre foi fascinada por fotografia e todo gênero de música. Engajada em manter as pessoas bem informadas, já se envolveu em diversos sites de notícia e projetos sociais.

Copyright © 2014. Design by Blank