#EscutaAí – Dinner And A Suit

Fala, galera!

Semana passada as fãs histéricas da banda No Ducky pularam de alegria ao saber que os meninos tinham realizado uma entrevista exclusiva para o blog do Caco (se você não conferiu a matéria completa, clique aqui porque vale muuito a pena!)Depois de inúmeros pedidos nós conseguimos marcar uma entrevista exclusiva com eles e até fomos no show que rolou aqui em São Paulo! Foi de tirar o chapéu! Nessa semana não foi diferente: as fãs gringas também fizeram barulho e fomos atrás de uma banda sensacional que eu tenho certeza que vai entrar na sua playlist.

A banda dessa semana é a “Dinner And A Suit“, que está prestes a lançar seu novo álbum (clique aqui)! A banda é basicamente formada por primos e tem uma história inspiradora por trás. Jonathan, um dos integrantes da banda, conversou comigo e contou um pouco mais sobre os caminhos que tiveram que optar até chegar aonde estão: com direito até a turnê ao lado da banda Lawson! Confira a entrevista abaixo e não se esqueça de deixar seus comentários tanto aqui no blog quanto em meu Twitter (clique aqui)!

 

ENTREVISTA COM DINNER AND A SUIT
 
Como vocês viraram uma banda? 

Jonathan Capeci: Eu queria começar uma banda com Joey desde que eu tinha 11 anos, mas nós morávamos em estados diferentes então não fizemos nada até a época em que começamos a dirigir. Logo depois, nós sabíamos que queríamos Max na banda, então nós basicamente o bombardeamos até que ele aceitasse. Nós conhecemos Drew em Nashville um pouco depois, e então ele foi o último membro a completar a banda.

 

De onde veio a ideia para o nome da banda “Dinner And A Suit”?

Jonathan Capeci: Joey e eu somos primos e nossos bisavós eram imigrantes italianos que se mudaram para a América logo depois da Grande Depressão – um período muito difícil para nosso país. Nossa bisavó trabalhou como costureira e muitas vezes ela levava as roupas que eram descartadas para arrumá-las e reutilizá-las. Era um costume para ela e meu bisavô convidar desabrigados, desempregados ou pessoas que precisavam de ajuda para a casa deles e alimentá-los. Então ela pegava um dos trajes (suits) antigos que ela havia arrumado e costurava para o convidado – oferecendo-lhes boa comida e roupas novas. Essa é a história por trás do nome “Dinner And A Suit”. 

 

A música sempre esteve presente na vida de vocês?

Jonathan Capeci: Nós sempre gostamos de ouvir música e descobrir bandas novas. Isso definitivamente ajudou a nos tornar quem somos hoje.

 

Você poderia descrever a dinâmica do grupo?

Jonathan Capeci: Eu vou descrever a dinâmica nos comparando com as Spice Girls. Drew seria a Baby Spice porque ele é o mais novo; Joe seria Scary Spice porque ele é atrevido; Max seria uma combinação de Posh Spice e Sporty Spice porque ele é o mais atraente e mais atlético. Eu seria Ginger Spice – basicamente porque ela é a única que sobrou depois deu escolher as outras para os outros integrantes da banda. 

 

 

Você acha que o fato de vocês conhecerem a vida um do outro (porque você, Jonathan, Joey e Anthony são primos) previamente ajudou a construir a identidade do DAAS? 

Jonathan Capeci: Eu tenho certeza que tem algo a ver com isso. Nós somos amigos muito próximos – além de sermos da mesma família, honestamente eu não consigo imaginar isso de outra forma. 

 

 

Tem muitas bandas por aí que possuem uma gravadora ou um time grande por trás para ajudá-los a tocar projetos pra frente, financiar novos trabalhos, etc. Para vocês, foi/é difícil trabalhar como uma banda independente? 

Jonathan Capeci: Eu acredito que isso pode ser uma faca de dois gumes. Por um lado há certos recursos que seriam bons, mas ao mesmo tempo nós nos sentimos sortudos por fazer as coisas da maneira como queremos – que é uma liberdade que nem todas as bandas tem.  

 

Diferentemente de outras bandas, vocês não gravam covers. Porquê isso e vocês já pensaram em gravar algum? 

Jonathan Capeci: Nós já fizemos alguns covers no passado, algumas vezes pode ser divertido e nós todos somos grandes fãs da música – então vendo por esse lado é bem legal poder tocar uma música que você adora e que foi composta por outro artista. No entanto, na maior parte das vezes, eu acho que nós tentamos focar em nossa própria música. Um monte de gente tenta fazer sua carreira através de covers, o que é legal, mas nós não queremos fazer isso.

 

Como é o processo de escrever as canções? Sempre tem alguém responsável pelas letras, outro para melodia..? 

Jonathan Capeci: Toda canção é escrita de forma um pouco diferente. Na maior parte das vezes alguém tem uma ideia que serve como ponto de partida e aí nós trabalhamos juntos em cima disso. Na maior parte dos casos eu vou escrever as  letras e a melodia, mas é realmente um processo coletivo para juntar tudo isso. 

 

Qual sua parte favorita em gravar uma canção?

Jonathan Capeci: Normalmente tem um momento em que você escuta a música que foi gravada e você fez parte daquilo, trabalhou junto com a banda e se tornou muito maior do que você. Isso é realmente um sentimento maravilhoso. 

 

 

De onde vem a insíração para as letras? Vem naturalmente, baseada em experiências pessoais etc, ou vocês simplesmente sentam e colocam o cérebro pra funcionar? haha 

Jonathan Capeci: É sempre diferente. As vezes são experiências ou sentimentos, mas as vezes a canção simplesmente surge do nada. Nós tentamos escrever alguma coisa que faça sentido para nós – acho que isso é importante.

 

 

Vocês fizeram turnê com a banda Lawson no ano passado. Como foi?

Jonathan Capeci: Foi legal, eles foram rapazes muito simpáticos e os shows foram divertidos. 

 

 

Como Lawson os escolheu para abrir a turnê? Vocês o conheciam antes disso? 

Jonathan Capeci: Nós não os conheciamos antes disso – mas aconteceu porque nós estávamos marcando shows basicamente na mesma época e praticamente nas mesmas cidades então essa junção foi algo natural. 

 

 

Descreva a relação de vocês com os fãs. Há algum tipo que chama a atenção de vocês?

Jonathan Capeci: Qualquer pessoa que ouve nossa canção, vem a um de nossos shows ou fala para algum amigo sobre nós significa muito pra gente. É definitivamente  algo humilde. Nós tentamos manter contato com as pessoas sempre que possível e interagimos online também. Nossos fãs são os melhores. 

 

É muito importante para uma banda se manter conectado com os fãs, especialmente quando estão em turnê. O que vocês fazem para se manter conectados?

Jonathan Capeci: Nós tentamos o máximo usar o Twitter, Facebook, Instagram e todas essas coisas.

 

Nós sabemos que seu novo álbum está prestes a ser lançado. O que os fãs podem esperar das novas canções?

Jonathan Capeci: Nós estamos muito animados para compartilhar essas canções. É autêntica e eu acho que mostra um novo lado nosso.  

 

 

Há algum artista que vocês adorariam trabalhar junto?

Jonathan Capeci: Muitos! U2, Kings of Leon, Peter Gabriel e provavelmente mais um bilhão de artistas.

 

 

Vocês sabem algo sobre o Brasil? Vocês já pensaram alguma vez em vir para cá?

Jonathan Capeci: Nada além de que vocês tem sido muito gentis conosco! Nós adoraríamos poder tocar por aí algum dia!

 

Por último, mas não menos importante, você gostaria de deixar um recado para seus fãs brasileiros e os leitores do cacodecastro.com.br ? Obrigado pela entrevista, Jonathan!

Jonathan Capeci: Muito obrigada! Vocês significam muito para nós! Esperamos poder vê-los em breve. 

DAAS Twitter    |    DAAS Facebook    |    DAAS Instagram 

 

 

E aí, curtiu a entrevista? Deixe seus comentários abaixo!

Clique aqui para saber todos os detalhes de como indicar os músicos

Marcella

Fale comigo no Twitter

Siga meu Instagram

 

As much as there is an ongoing evolution for Dinner And A Suit, there are things that will always remain unchanged. Fueled by momentum from their 2012 LP Since Our Departure, the Jersey-born, Nashville-based rock outfit has spent the past two years in motion.  There has been non-stop touring, critical praise and global highlights – all building blocks for a band on the rise – that have laid the groundwork for continued exploration. And so it’s fitting that Dinner And A Suit will release their new EP STAY on October 7, 2014 (click here to preorder). Written on the road, STAY is like a beam into the unified soul of this dedicated, four-piece band – comprised of singer Jonathan Capeci, guitarist Joey Beretta, bassist Anthony Genca and drummer Drew Scheuer. As you preorder your copy and enjoy their videos on Youtube, read my exclusive interview with the boys. Don’t forget to leave a comment below and to let me know what you think on my Twitter page (click here). Hope you enjoy it! :)

– Marcella

INTERVIEW WITH DINNER AND A SUIT
 
How did you guys become a band?

Jonathan Capeci: I wanted to start a band with Joey since I was 11, but we lived in different states so it wasn’t until we could drive that we were able to make it happen. Shortly after, we knew we wanted Max in the band, so we essentially bombarded him until he agreed to it. We met Drew in Nashville a little while after, and he was the last member to complete the line up.

 

Where did the name Dinner And A Suit come from?

Jonathan Capeci: Joey and I are cousins, and our great grandparents were Italian immigrants who moved to America shortly before the Great Depression, an incredibly tough time for our country. Our great grandmother worked as a seamstress and would often take home the clothes that got thrown out in order to fix them up and repurpose them. It was a custom for her and our great grandfather to invite homeless, jobless, or people in need over to their house and feed them. She would then take one of the old suits that she had fixed up and tailor it for their guest, providing them with some good food and new clothes. That story is where the name Dinner And A Suit comes from. 

 

Has music always been a part of your life growing up?

Jonathan Capeci: We all loved listening to music and discovering bands growing up. It definitely helped shape who we are. 

Could you please describe the dynamic of the group?

Jonathan Capeci: I’ll describe our dynamic by comparing us to the Spice girls. Drew would be baby spice because he’s the youngest, Joe scary spice because he’s sassy, Max would be a combination of posh spice and sporty spice because he’s the best looking and most athletic, and I would be ginger spice, mostly because she’s the only one left after I picked the others.

 

Do you think the fact that you guys know about each other’s life (because Jonathan, Joey and Anthony are cousins) before helped you to build DAAS’s identity? 

Jonathan Capeci: I’m sure that has something to do with it. We’re pretty close friends besides being family, honestly I can’t really imagine it any other way.

 

There are many bands out there that have a label and team of people to help support and finance a lot of their projects. For you guys, was it/is it difficult for you as an independent band?

Jonathan Capeci: I think that it can be a double edged sword. On one hand there are certain resources which would be nice, but we also feel lucky to be able to do things how we want to, which is a freedom not every band has.

 

Unlike other bands, you guys do not record any covers. Why is that and have you ever thought about doing any covers?

Jonathan Capeci: We’ve done covers in the past, sometimes it can be fun, and we’re all music fans, so in that regard it can be cool to perform a song you really like by another artist. For the most part, though, I think we just try and focus on making our own music. A lot of people try to make a career by doing covers, which is fine, but we didn’t want to do that.

What is your song writing process like? Is there always someone responsible for the lyrics, another on for the melody…?

Jonathan Capeci: Each song is written a little differently. Most times someone has an idea which serves as a starting point and then we work it out together. In most cases I will write the lyrics and melody, but it’s really a team process in bringing the whole thing together.

 

What is your favorite part of the recording process?

Jonathan Capeci: There is usually a moment when you’re listening back to a song that was recorded and though you were a part of it, working together with the band it became even bigger than you, and that is a cool feeling.

 

Where the songs idea come from? It comes naturally, based on personal experiences etc, or you just sit down and put your brain in gear? haha

Jonathan Capeci: It’s always different.  Sometimes it’s experiences, or feelings, but sometimes a song just shows up out or nowhere. We try to write things that mean something to us, I think that’s important.

 

Are there ever disagreements when writing or recording a song?

Jonathan Capeci: Yes, of course. But that’s just part of being in a band.

 

You toured for Lawson last year, what was that like? 

Jonathan Capeci: It was great, they were nice guys and the shows were a lot of fun.

 

How did Lawson choose you to open for them? Did you know them before?

Jonathan Capeci: We didn’t know them before, but it just so happened that we were both planning shows at the same time in many of the same cities and it seemed like a natural fit.

 

Did you gain a larger fan base after touring with Lawson?

Jonathan Capeci: For sure. We made some incredible fans from it.

 

Describe your relationship with fans. Are there any fans in particular that stand out to you?

Jonathan Capeci: Anyone who listens to our music, comes to a show, or tells a friend about our band means so much to us. It’s a truly humbling thing. We try to keep in contact with people as much as we can, and usually interact online. Our fans are the best.

 

It is very important for bands to stay connected with their fans, especially when they are not touring. What do you guys do to stay connected to your fans?

Jonathan Capeci: As much as we can. Twitter, Facebook, Instagram, all those sort of things.

We know that your new album is coming, so what fans can expect about the new songs?

Jonathan Capeci: We’re really excited to share this music. It feels authentic, and I think we show a new side of ourselves. 

 

Is there any artist you would like to collaborate with?

Jonathan Capeci: Tons. U2, Kings of Leon, Peter Gabriel, and probably a billion others.

 

Do you know something about Brazil? Have you ever thought about visiting us?

Jonathan Capeci: Not much other than you guys who have been very kind to us! And that we’d love to come play music there one day.

 

The last, but not the least, could you please leave a message to your brazilian fans that are reading this interview on cacodecastro.com.br ? Thanks for having us, boys!

Jonathan Capeci: Thank you! You all mean so much to us. We hope to meet you soon.

 

 

DAAS’s Twitter    |    DAAS’s Facebook    |    DAAS’s Instagram 

Marcella

Follow me on Twitter

Follow me on Instagram

sobre o autor

Marcella Monteiro
Marcella Monteiro

Apesar de estar cursando Engenharia, sempre foi fascinada por fotografia e todo gênero de música. Engajada em manter as pessoas bem informadas, já se envolveu em diversos sites de notícia e projetos sociais.

Copyright © 2014. Design by Blank